SER DONA DE CASA É UM TRABALHO - Super andreazza

Ser dona de casa é um trabalho?

Lavar, cozinhar, passar, limpar, fazer rancho, cuidar da manutenção, vigiar os filhos… as tarefas das donas de casa são incontáveis, não é mesmo? E ainda assim, há quem diga que elas não trabalham. Mas será mesmo que ser dona de casa não é um ofício? Confira o nosso artigo!

A profissão “do lar”

Uma grande parcela da sociedade entende que uma profissão é unicamente aquela que gera renda, benefícios para a sociedade e arrecadação de impostos. Outras atividades são entendidas como “opção”, ou simplesmente como “passatempo”, como é o caso das donas de casa. Mas esse é um entendimento muito limitado, e muito injusto com as mulheres que dedicam suas vidas ao lar e à família.

Geralmente, é tarefa das donas de casa manter a casa limpa e arrumada, fazer compras para atender às necessidades da casa, preparar as refeições, comprar e cuidar da roupa de todos os membros da família, supervisionar a educação dos filhos, propor e organizar momentos de lazer para a família, ser responsável por levar e buscar os filhos na escola e em outras atividades, além de uma série de responsabilidades. Imagine então, que a dona de casa tire uma semana de folga, sem realizar nenhuma das suas “obrigações”. Teriam roupas limpas e passadas para a família usar? Teriam alimento pronto? A casa estaria limpa e em ordem? E quem levaria e buscaria os filhos do colégio? Provavelmente as atividades não seriam feitas, ou se a família tem condições financeiras, precisaria contratar alguém para fazê-las. Então, por que a dona da casa não tem o mesmo reconhecimento?

A desvalorização da dona de casa

A questão é, principalmente, cultural. Antigamente – e infelizmente esse pensamento ainda faz parte de uma parcela da sociedade – acreditava-se que era obrigação da mulher cuidar de todas as tarefas do lar. Ou seja, ela não fazia por profissão, por passatempo ou por prazer; fazia porque a sociedade entendia que esse era o seu papel no mundo. E mesmo depois que a mulher conquistou o direito de trabalhar fora, as obrigações domésticas continuaram sob sua responsabilidade, caracterizando uma jornada dupla de trabalho.

Segundo levantamento do IBGE, as famílias que dividem igualmente as tarefas domésticas entre o marido e a esposa são minoria, pois ainda acredita-se que elas são responsabilidades femininas. Como se apenas as mulheres usufruíssem da casa, da comida e das roupas, né?

No passado, essa obrigação feminina de cuidar do lar era justificada pelo trabalho dos homens, que passavam o dia fora de casa. Mas e hoje, com a mulher no mercado de trabalho, o argumento ainda vale? E mesmo que a esposa não trabalhe fora, quer dizer que ela não realize nenhuma atividade durante o dia?

Se fossemos colocar na ponta do lápis as atividades que uma dona de casa realiza e pagar por isso, a maioria delas teria uma conta bancária bastante recheada. Tomando por base as leis trabalhistas, as donas de casa deveriam receber salário, horas extras, insalubridade, adicional noturno, plano de saúde, adicional de final de semana, décimo terceiro salário e claro, férias remuneradas. Afinal, todos os trabalhadores gostam de ter seus direitos respeitados, certo?

E não só os direitos legais devem ser respeitados, como deve existir respeito a todas as atividades. Portanto, antes de dizer que as donas de casa não trabalham, não devem ter benefícios e não devem ser consideradas trabalhadoras e membros atuantes para a economia, vamos repensar nossos conceitos!

A profissão de dona de casa é regulamentada?

Felizmente, para a Previdência Social, a profissão “do lar” pode e deve ser regulamentada, já que a Lei nº 8.213/91, em seu artigo 13, estabelece o conceito de segurado facultativo. Assim, há a possibilidade legal da dona de casa contribuir com a Previdência e usufruir dos benefícios dos trabalhadores.

É vital que as profissionais do lar se regularizem com a Previdência Social, para assegurarem seus direitos como auxílio-doença e aposentadoria por invalidez, por exemplo. Desse modo, a saúde da mulher fica mais protegida, e a família não precisa ficar desassistida caso a dona de casa não possa mais exercer seu trabalho.

Donas de casa, nós estamos com vocês!

O Super amigo da família tem um enorme respeito e admiração pelas profissionais do lar e entende que, sem elas, o dia a dia das famílias seria muito mais difícil.

Por isso é que o Andreazza preza tanto pela qualidade dos seus produtos, do atendimento e dos benefícios. Afinal, sabemos que o dia de vocês já é atarefado o suficiente, e queremos sempre oferecer o máximo de facilidade, qualidade e economia.

Conte conosco. Nós estaremos sempre ao seu lado, valorizando a sua profissão!