Pegue a bike e deixe a preguiça de lado

As cidades aqui da Serra têm pelo menos três dificuldades quando o assunto é dar uma voltinha de bicicleta: morros sem fim, falta de ciclovias e ciclofaixas, além do clima que não ajuda muito. Mas aos adeptos da “magrela”, toda hora é hora, todo dia é dia. O negócio é tirar a bike da garagem, sem pensar duas vezes.

Para as subidas íngrimes, algumas técnicas ajudam: respire fundo, ajuste a altura do selim (sente no banco, colocando seu pé sobre o pedal na altura mais baixa. A perna tem de ficar quase que completamente esticada, com o joelho levemente flexionado) e, para evitar a transpiração excessiva, pedale leve em marcha baixa.

Com a carência de espaços para a circulação de bicicletas nas vias públicas, a gente precisa dividir ruas e avenidas com carros, motos, caminhões e ônibus. Ou seja, a atenção deve ser redobrada. Outro detalhe importante: as leis de trânsito valem também aos veículos de duas rodas, inclusive bicicletas.

Já quando o dia estiver muito, muito frio, não deixe de se agasalhar. Roupas térmicas, normalmente mais leves e menos volumosas, são ótimas para situações como essas.

De bike, pode ser bem divertido ir ao trabalho, por exemplo. Você aproveita bem o cenário urbano, faz um exercício físico e ainda ajuda a não poluir o planeta. Viu só? Não é tãaaaaao difícil assim.

E você, costuma pegar sua bike? Durante a semana ou só mesmo no finde? Compartilhe com a gente lá no Facebook 🙂

Comentários fechados.