Pandemia: quem era, quem é e quem será você amanhã?

O mundo já deu uma volta completa ao sol, já vimos um eclipse e nosso planeta girou sobre seu próprio eixo mais de 365 vezes desde o início da pandemia. Já faz mais de um ano que não abraçamos pessoas queridas, que não vamos a uma festa com os amigos e que você não vibra pelo seu time direto do estádio. Pois é, a pandemia mudou a nossa vida, o dia a dia, as relações e também mudou a gente.   

O velho normal

Antes era comum ver milhares de pessoas em um mesmo ambiente. Festas, shows, partidas de futebol e diversos outros eventos. Juntávamos a família toda no domingo e fazíamos aquele almoço caprichado. Durante a semana, íamos à escola, faculdade e academia, sem nem sequer nos preocupar com máscara e álcool em gel.

E de repente, tudo isso já não podia mais acontecer. A quarentena chegou e fez com que ficássemos em casa. No início, pensamos que seriam apenas poucos dias e que logo tudo voltaria ao normal. Que esse período seria bom para desacelerar, passar mais tempo com a família e pensar sobre a nossa vida, sobre a sociedade e o mundo.

O novo normal

Logo, os poucos dias se tornaram um mês. E muitas pessoas e até empresas se reinventaram. Normalizamos o home office, as aulas EAD e as reuniões via Skype. Muitos de nós mudaram a carreira profissional e mergulharam de cabeça em projetos pessoais, descobriram novos hobbies e maneiras criativas de passar o tempo.

Quando percebemos, já era dezembro. E nós estávamos em casa desde março. Então veio o Natal e o réveillon, completamente atípicos. As ligações encurtaram distâncias, as Redes Sociais nunca foram tão úteis, principalmente para quem teve que passar essas datas sozinho. O pedido de todos na virada do ano foi, com certeza, para que tudo melhorasse e voltasse ao que era antes.

O que será “normal” após a pandemia?

Em um piscar de olhos, ultrapassamos a marca de 1 ano desde o começo da pandemia. E isso nos faz refletir sobre o que mudou no mundo e o que mudou dentro de cada um de nós. Apesar de toda tristeza e angústia que o coronavírus trouxe a milhares de pessoas, neste tempo, precisamos olhar para trás e observar o quanto aprendemos com tudo isso.

Agora, muitas pessoas sabem a importância que cuidar de si pode ter na preservação da vida do outro, que a higiene pessoal é fundamental para prevenir o contágio de diversas doenças e que em se tratando de solidariedade, aquilo que parece pouco para nós, pode ser muito na vida de quem precisa.

O que o futuro reserva?

Prever o que vai acontecer amanhã, semana que vem ou daqui um ano é impossível, mas algo que escrevemos aqui mesmo neste blog, lá em 2020, é algo que com toda certeza, irá se concretizar.

Fazendo uma analogia com relacionamentos, dissemos que quando começamos um namoro, somos uma pessoa e, quando essa relação acaba, somos outra. E situações como a pandemia, que são capazes de marcar tão profundamente, transformam nossas vidas. Quando tudo isso puder ser visto como passado, vamos conseguir identificar com clareza o quanto mudamos.

O que você viveu neste ano de pandemia? O que você aprendeu? Você já pensou nisso? Poder perceber o quanto evoluímos como seres humanos e a compreensão de que cuidar do outro também é cuidar de si, é revelador.

Estamos caminhando diariamente para o fim deste tempo conturbado, mas é fundamental que você não esqueça que as precauções ainda são necessárias. Enquanto a pandemia existir,  o vírus ainda circula e faz vítimas em todo lugar, por isso, evite aglomerações, use máscara, higienize as mãos e, se puder, fique em casa.