Como minimizar os efeitos das alergias na Primavera

Coceira, irritação e congestão nasal, coriza e espirros. A primavera é, sem dúvida, a mais bela das estações, embora também uma das mais complicadas quando o assunto é alergia. Na medida em que as árvores florescem, o ar é invadido por uma explosão de pólen. E a conta é certa: pólen + mucosa nasal = festa de rinites e crises respiratórias. Além disso, a variação de temperatura também ajuda na sensibilização de nosso organismo.

E aí, o que fazer? Sempre é bom procurar ajuda médica especializada, ainda mais se o quadro evoluir para além da simples irritação respiratória. De qualquer maneira, algumas medidas podem minimizar os efeitos da estação mais colorida do ano que, em caso contrário, têm impacto negativo em nossa qualidade de vida.

Vamos a elas:

– Material impermeável: envolva colchões e travesseiros, a fim de evitar ácaros. Cuidado, tapetes, cortinas e bichinhos de pelúcia também costumam ser locais adorados por eles.
– Descongestionantes nasais: não utilize, a não ser sob prescrição médica. Os descongestionantes, em geral, aliviam os sintomas, porém aumentam o inchaço nasal e, como consequência, elevam a incidência de coriza.
– Local bem arejado: abra janelas e deixe o ar circular. Caso tenha ar-condicionado, ele é uma boa alternativa, uma vez que seu filtro retém pólens e outras partículas alergizantes.
– Produtos biodegradáveis: prefira esses produtos aos desinfetantes e amaciantes convencionais, que também tendem a intensificar a irritação respiratória.
– Limpeza com panos úmidos: evite vassouras, pois elas movimentam e deixam suspensos pólen, ácaros, poeira e pelo de animais, provocando novas crises.

E você, sofre de alergias na primavera ou conhece alguém? Compartilhe com a gente lá no Facebook 🙂

Fontes: Zero Hora | HC da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo