O novo velho – o que está mudando na terceira idade?

Foi-se o tempo em que as pessoas a partir dos 60 anos retiravam-se do convívio social e do mercado de trabalho, ficando restritas apenas às atividades familiares e a “aproveitar a aposentadoria”. O perfil assistencialista dos idosos deu lugar à ação e ao protagonismo, e hoje eles colocam seus conflitos, sonhos e questões sobre trabalho, sexualidade, diversão e dinheiro como agentes ativos da sociedade.

Essa mudança de perfil é explicada por diversos motivos, mas principalmente pela queda da natalidade e aumento da expectativa de vida a nível global. Atualmente, a população com 60 anos ou mais é a que mais cresce no mundo, e estima-se que ela dobrará até o ano de 2060. A projeção para o Brasil é que, em 2050, a população de sêniores seja o dobro da de jovens.

A sociedade sênior

Uma pesquisa divulgada em junho deste ano revelou dados interessantes sobre a população idosa do Brasil, principalmente no que se refere a planos para o futuro e uso das tecnologias. Veja alguns dados:

– 1 em cada 4 idosos planeja empreender no futuro.

– Cerca de 33% deseja estudar algo novo.

– A população sênior gasta 15 bilhões de reais todo o ano no comércio eletrônico.

– A terceira idade movimenta cerca de 1,8 trilhões de reais ao ano.

Além disso, hoje os idosos representam 16% da renda nacional. A projeção para 2050 é que eles representem 37% de todo o consumo do Brasil.

Os idosos e o mercado

Mesmo com um índice de consumo e participação tão grande, e com altíssimas tendências de crescimento, o mercado de consumo ainda ignora os idosos. Dos entrevistados na pesquisa citada acima, 37% dizem que há poucos produtos voltados para o público da sua idade, como alimentos, smartphones adaptados, bares/casas noturnas e roupas.

Além disso, o acesso à tecnologia para as pessoas da terceira idade ainda é bastante deficiente. Mesmo que 9 milhões de brasileiros acima de 60 anos usem a internet, o índice de pessoas que se sente confortável com a tecnologia ainda é muito baixo. Mais da metade desse número não se enxerga preparado para fazer ações mais complexas, como criar um perfil em rede social, fazer compras, baixar apps ou pesquisar produtos.

Mas as marcas aos poucos têm mudado isso. Percebendo o potencial de compra, de tomada de decisão e de proatividade do público maduro, as empresas têm investido em facilidades e maneiras de aproximar o idoso à tecnologia e torná-lo cada vez mais capacitado a consumir com independência.

Projeto Velhos Amigos do Super Andreazza

Além de todas as facilidades que o Super Andreazza já oferece, está chegando mais uma inovação. O Projeto Velhos Amigos foi desenvolvido especialmente para o público da terceira idade, a fim de valorizar quem é cliente há tantos anos e ser, na prática, o supermercado que cuida dos idosos.

Qualquer pessoa a partir de 60 anos pode fazer parte do Projeto Velho Amigo. Basta fazer um cadastro em qualquer supermercado Andreazza, direto no caixa, e aproveitar os mesmos descontos do aplicativo!

Mas o Andreazza não oferece apenas prioridade em atendimento nos caixas e descontos exclusivos. Sabendo da dificuldade que a população da terceira idade enfrenta para retomar um emprego, o Supermercado implementou com o projeto Retorno da Terceira Idade ao Mercado de Trabalho, abrindo vagas exclusivas para pessoas a partir dos 60 anos, com todas as condições para que elas exerçam uma profissão de forma digna e justa.

E muito mais vem por aí. Afinal, comprar com economia, segurança e bom atendimento, é bom em qualquer idade!