Como não se apertar com os gastos de início do ano

Quando dezembro bate à porta, o ânimo vira outro, não é mesmo? As férias se aproximam, e o décimo terceiro chega para aliviar as despesas extras. Em janeiro, precisamos nos deparar com (vários) custos adicionais, capazes até de tirar nosso sono: IPTU, IPVA, material escolar e por aí vai. A lista é grande e assusta muita gente logo nos primeiros dias do novo ano.

Não se desespere. Parece difícil, mas com organização e planejamento, tudo ficará bem. Por isso, a gente preparou este texto com dicas e sugestões para sobreviver aos gastos de início de ano, inclusive à temida lista de materiais escolares. Confira:

Balanço anual
Antes de qualquer coisa, avalie o ano passado com seus gastos e rendas. Isso ajudará na hora de planejar seus próximos doze meses. Tenha em mente sempre três premissas básicas: gaste apenas o inevitável, economize o que é possível e invista em seus sonhos e/ou objetivos.

Organize suas contas
Mesmo com o décimo terceiro e as férias, as despesas podem superar suas receitas. Lembre-se também que no mês posterior às férias, seu salário costuma vir abaixo do normal. Feito o balanço anual ou no decorrer dele, divida suas contas em duas categorias: gastos inevitáveis e gastos que podem ser adiados. Normalmente, vale a pena já quitar o IPTU e o IPVA (gastos inevitáveis), devido ao desconto à vista, porém cuide para não zerar sua conta e ficar sem dinheiro em eventuais imprevistos. Evite, ainda, pagar o mínimo do cartão de crédito ou entrar no cheque especial, porque ambos acarretam altas taxas de financiamento. Viagens, roupas e passeios são gastos que podem ser adiados.

Trace objetivos em família
Crianças e adolescentes costumam apresentar certa dificuldade em compreender as finanças de casa. Uma ideia bacana é perguntar à família qual o sonho/desejo de cada um para aquele ano. Computador? Viagens? Smartphone? Na sequência, mostre o que é necessário fazer para que, juntos, todos atinjam suas metas pessoais e coletivas. Isso claro, deixar de lado aquele caderno capa dura com valor elevado torna-se menos traumático.

Poupe o ano todo
Com a estimativa de despesas mensais organizada, você facilita a tarefa de poupar. Para isso, é fundamental resistir a novos custos fixos. Foque nos seus objetivos de médio e longo prazo. Além disso, com aquela sobrinha, garantimos uma transição de ano mais suave e sustentável, sem grandes apertos financeiros. Dá até para pagar algumas contas à vista (impostos, material escolar…), negociar eventuais pendências e, claro, viajar tranquilo e sossegado, por exemplo.

Material escolar não é bicho-papão
Enquanto aos pequenos tudo é diversão, muitos pais tremem na hora de comprar material escolar. Com apenas 3 dicas simples, podemos economizar um monte. Veja só:
1. Usados: converse com pais de outros alunos mais velhos do que seus filhos. Sempre tem aquele item em bom estado disponível para empréstimo ou venda por um valor mais em conta. Sebos são opções excelentes quando procuramos a melhor relação custo/benefício em livros.
2. Filhos em casa: ao deixar seus filhos em casa, a compra tende a ser mais objetiva, e os gastos desnecessários menos recorrentes. Se decidir levá-los junto, faça questão de lembrar que, para atingir os objetivos traçados no ano, todos da família devem fazer pequenos sacrifícios, inclusive no momento de escolher seus novos materiais.
3. O ano letivo começou: cuide com o desperdício de material; compre material escolar no decorrer do ano (mais barato e menos pesado ao orçamento); economize e compre os materiais do próximo ano à vista, garantindo bons descontos.

Essas são apenas algumas dicas e sugestões para você não se apertar com os gastos de início do ano. Existem milhares, mas tenha na cabeça o seguinte: com planejamento e disciplina, você garante a saúde financeira da família durante todo ano.
Se este conteúdo foi útil, compartilhe com seus amigos lá no Facebook e não esqueça de deixar seu comentário abaixo.

Fontes:
InfoMoney
QuickBooks
iG – Economia