Pessoas caminhando sobre faixa de segurança em destaque. Anoitecer.

6 dicas para atravessar a rua com mais segurança

Em 25 de setembro, comemoramos no Brasil o Dia Nacional do Trânsito. O problema é que não temos tantos motivos assim para comemorar, uma vez que perdemos milhares de vidas todos os anos nas vias brasileiras. Embriaguez, falta de atenção, má condições das estradas e dos veículos e imprudência lideram o ranking dos principais motivos de acidentes, sobretudo com vítimas fatais.

E os pedestres? Esquecemos às vezes que, em algum momento, todos somos pedestres. Assim como os automóveis, as bicicletas e as motos, também dividimos a responsabilidade por um trânsito mais seguro quando estamos a pé pelas ruas.

Abaixo, listamos algumas dicas para atravessar a rua com mais segurança. Confira:

1. O básico
Antes de atravessar, olhe para os dois lados. Certamente, sua mãe fala isso desde que você era bem pequeno, mas a regra ainda se mantém atual. Além disso, sempre que possível, atravesse na faixa para pedestres e com atenção aos sinais de trânsito.

2. Mantenha-se visível
Tenha certeza de que os motoristas perceberam sua presença. Mantenha contato visual, isso ajuda a detectar se o motorista está ciente de sua travessia. Evite atravessar a rua por trás de carros, ônibus, postes, árvores ou caçambas. Caso contrário, você pode surpreender os motoristas que trafegam no local.

3. Use a faixa
A faixa para pedestres existe para garantir sua segurança. Lembre-se: caso haja semáforo junto à faixa, esse deve ser respeitado. Sem sinal, a preferência é do pedestre.

4. Sem faixa, mas com segurança
Se o local de travessia não possuir faixas para pedestres em suas proximidades, procure passarelas, esquinas com semáforos e locais próximos a lombadas e outros meios de retenção de velocidade.

5. Vá na contramão
Principalmente em estradas e vias sem calçadas, procure andar na contramão do tráfego de veículos. Isso amplia sua percepção e ajuda a prevenir acidentes envolvendo quem está a pé.

6. Pratique a gentileza
Pratique a troca de gentilezas no trânsito, isso salva vidas e deixa o dia a dia mais leve. Por um lado, o pedestre não deve se colocar em risco, dar aquelas famosas corridinhas do “vai que dá”. Por outro, os motoristas não podem pressionar os pedestres durante a travessia. Por exemplo, se o sujeito já iniciou a travessia e, durante o percurso, o sinal abriu para os veículos, a preferência segue com o pedestre. Pratique a paciência e o sentido de compreensão, ainda mais em tempo chuvoso e com pessoas idosas ou com algum tipo de limitação física ou motora.

Todos somos responsáveis por um trânsito seguro e com menos acidentes. É preciso, antes de qualquer coisa, conscientizar. Saber que cada um de nós, a pé, de carro, de moto ou bicicleta, ocupa um espaço na via, compartilhando o tempo todo direitos e deveres. Antes de reclamar, xingar ou buzinar, que tal se colocar no lugar do outro? Mantenha a calma e procure compreender antes de apenas julgar.

Se gostou de nossas dicas, compartilhe com seus amigos lá no Facebook.

Fontes:
Portal do Trânsito
A Tribuna News
Diário Catarinense